Síria – impressões. Cotidiano!


Quando pensava na guerra na Síria, e em Aleppo principalmente, que era a cidade para a qual eu planejava ir, eu imaginava a cidade completamente deserta, habitada apenas pelos soldados do regime e pelos soldados do FSA. Não conseguia imaginar pessoas vivendo no meio de uma guerra na qual nenhum dos 2 lados tem escrúpulos em matar a sangue frio. Hoje eu percebo a falta de nexo dessa minha idéia. Aleppo tem 4 milhões de habitantes. Pra onde toda essa gente poderia ter ido? 

Quando comprei a passagem comecei a conversar com fotógrafos que já haviam ido para lá e quando perguntei a respeito da logística, onde eu iria comer, essas coisas, eles me disseram que poderia levar dinheiro pois eu encontraria barracas de rua vendendo “churrasquinho de gato”, kebab, e muitas outras coisas. A princípio fiquei pasmo, e esperei pra ver se era verdade. 

Image

Lixo se acumula por toda a cidade. Em alguns pontos, os montes chegam a quase 4 mts de altura. A solução adotada é queimar parte do lixo, coisa que é feita diariamente pela população

Ao chegar, vi que não apenas era verdade, mas eles estão até confortáveis com a situação, na medida do possível. Nos primeiros dias eu ficava atento sempre que ouvia uma explosão de morteiro, e sempre achava que era muito perto de onde eu estava, mas a partir do segundo, terceiro dias, eu já não dava mais atenção a isso. Não é uma situação confortável, mas eu já entendia se o morteiro tinha caído perto ou longe de mim, e eu conseguia manter a calma, afinal, o som de explosões não parava durante as 24hs do dia. E a partir daí, eu passei a entender como é possível que as pessoas vivam nessa situação a quase 7 meses e sigam tocando as suas vidas. Mesmo com a guerra as pessoas precisam comer, precisam de roupas, as crianças não deixam de ser crianças e continuam brincando nas ruas, e a vida segue, com uma quase normalidade assustadora, pois uma pessoa pode estar indo comprar pão, ser atingida por um morteiro, e pronto. Afinal, assim é a incerteza da guerra. A única coisa certa é que você está aqui nesse momento, e no próximo pode ser que não. 

Image

Pai e suas 3 filhas conversam com soldado FSA na Cidade Velha. A linha de frente nesse bairro fica a apenas 50 mts seguindo por esta mesma rua.

Image

Homem queima o lixo em rua de Aleppo. Essa prática se tornou comum pela maioria das pessoas para que o lixo não se acumule nos bairros de Aleppo dominados pelo FSA.